2 de julho de 2017

Escravidão dos inocentes

Escravidão não é assunto do passado. Assistimos todos os dias o sofrimento cruel dos animais de carroça nas cidades. As pessoas não se interessam pela dor desses pobres indefesos. Por que o cavalo tem que trabalhar para alimentar homens? De onde vem essa lógica. Cansado, faminto, pés ferrados no asfalto quente, boca com freio que corta a língua, lombo ferido com o peso e pelo chicote implacável do carroceiro que se esquece que o cavalo não é uma máquina para correr no asfalto competindo com os carros. As patas do animal não foram feitas para o asfalto, a crueldade é tamanha, que esses animais vivem ou vegetam pouco tempo, para serem descartados e abandonados. Essa tortura diária,essa dor constante é só do cavalo, os homens fingem que não enxergam. Nunca entendi porque ainda continua essa escravidão de animais na cidade. Os animais das fazendas sofrem menos pois não precisam de ferraduras e nem andam no asfalto. A jornada de trabalho costuma ser menor. Será que ainda haverá justiça para esses sofredores. E as leis de proteção animal serão válidas? Sonho ver carroças, ferraduras e chicotes só em museus que lembrarão um tempo em que homens cruéis escravizavam animais..

4 comentários:

  1. Boa tarde Sinvaline!

    Estou a comentar este post com o objetivo de tentar comunicar consigo. Estou a realizar um estudo acerca da minha família e as suas origens e ando à procura de informações relativas a Niquelândia (local onde minha avó nasceu). Ando em busca de informações pertinentes acerca da presença portuguesa em Traíras e noutros locais. Muito obrigada! Daniela Silva
    Envio o link do meu facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=1024066280

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Sinvaline!

    Estou a comentar este post com o objetivo de tentar comunicar consigo. Estou a realizar um estudo acerca da minha família e as suas origens e ando à procura de informações relativas a Niquelândia (local onde minha avó nasceu). Ando em busca de informações pertinentes acerca da presença portuguesa em Traíras e noutros locais. Muito obrigada! Daniela Silva
    Envio o link do meu facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=1024066280

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Sinvaline!

    Estou a comentar este post com o objetivo de tentar comunicar consigo. Estou a realizar um estudo acerca da minha família e as suas origens e ando à procura de informações relativas a Niquelândia (local onde minha avó nasceu). Ando em busca de informações pertinentes acerca da presença portuguesa em Traíras e noutros locais. Muito obrigada! Daniela Silva
    Envio o link do meu facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=1024066280

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Sinvaline!

    Estou a comentar este post com o objetivo de tentar comunicar consigo. Estou a realizar um estudo acerca da minha família e as suas origens e ando à procura de informações relativas a Niquelândia (local onde minha avó nasceu). Ando em busca de informações pertinentes acerca da presença portuguesa em Traíras e noutros locais. Muito obrigada! Daniela Silva
    Envio o link do meu facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=1024066280

    ResponderExcluir